Fantasporto 2009

O festival de cinema mais importante de Portugal prepara-se para dar o arranque à sua 29 edição divulgando a programação para um evento que se vai desenrolar entre 16 de Fevereiro e 1 de Março no Porto. O Fantasporto apresenta num total de 13 salas com sede no teatro Rivoli mais uma quinzena de luxo para os cinéfilos nacionais, e não só. Depois de ultrapassar o estigma de ser “apenas” um festival de cinema fantástico, o Fantas traz para esta nova edição mais uma série de propostas que prometem fazer do Porto a capital do cinema europeu de Fevereiro. Para abrir a programação, estreia nacional exclusiva de Che, o filme de Steven Soderbergh sobre o revolucionário Ernesto Guevarra, cuja critica do Cinema podem ler aqui. O filme abre as hostilidades para um festival que conta como cabeças de cartaz Delta, do premiado autor hungaro Kornel Mundruzco (que já se apresentou no Porto com Pleasent Days e o multi-premiado Johanna), The Chase e Hansel e Gretel. Destaque também para a retrospectiva do cinema galego, seguindo o estreitar de relações entre a região Norte e a Galiza, isto depois de no ano passado o palmarés ter sido quase exclusivo de produções espanholas. José Fonseca e Costa receberá o prémio de carreira, mas não é o único cineasta alvo de uma retrospectiva especial. Também o italiano Mario Bava, pai do cinema de terror italiano, e o alemão Jorg Buttgereit, terão direito a retro no pequeno auditório do Rivoli. Para além das habituais secções Semana do Realizador e Orient Express, o Fantas volta a contar com o espaço “Cidade do Cinema” na praça D. João I, onde serão exibidas uma série de curtas-metranges. O Festival volta também a marcar presença em várias salas do grande Porto confirmando que o Rivoli já é demasiado pequeno para um festival desta magnitude. Para consultar a programação completa, podem consultar aqui o site oficial do Fantas.

Esta entrada foi publicada em Cinema, Fantasia, Fantástico, Ficção Científica, Sci-fi com as etiquetas , . ligação permanente.

2 respostas a Fantasporto 2009

  1. lbaixinho diz:

    “Depois de ultrapassar o estigma de ser “apenas” um festival de cinema fantástico(…)”
    Por acaso é o que tenho mais pena..

  2. pventura diz:

    Depois de ultrapassar o estigma de ser “apenas” um festival de cinema fantástico”

    Esta frase, enquadrada no texto relativo ao Fantasporto, despertou um comentário muito acertado e pertinente do amigo LBaixinho que, por consequência originou este meu “apontamento”…

    Como é óbvio, não fui eu o autor do texto – não tenho tempo para tais luxos. Se fosse, tal tirada certamente não existiria.

    De facto, somos um país de “estigmas” ranhozitos e serôdios, que acabam por revelar uma cultura enfezada, amordaçada, repetitiva e estagnada.

    Por um lado temos aqueles que “estigmatizam” tudo aquilo que vá além do cinema devotado a uma mera exibição de cenas picantes e corpos desnudados, encaixados num argumento facilmente digerível. Por outro temos a minoritária pseudo-intelectualidade de tiques e modas, que se julga possuidora de um saber e sensibilidade transcendentais, inacessível aos que não habitam o seu restrito grupinho, mais ou menos estanque a outros grupinhos… Estes estigmatizam tudo o que não encaixe em certos padrões de “bom gosto” ( geralmente importados de espécimes de nacionalidade diversa ) e vá além de um cinema absurdo, amorfo e neurótico que, na maior parte das vezes, nem eles entendem… No fundo, os elementos deste segundo grupo são os mesmos do primeiro, com roupagem modo de falar diferente.

    Aproveitando a “boleia”, também me vou dar ao luxo de “estigmatizar por aí” os estigmas alheios – atenção! Não estou a criticar gostos pessoais, apenas preconceitos. Considero que as ditas pessoas que “estigmatizam” o Fantástico possuem um mentalidade de “rio seco”. Falta-lhes o pulsante e vivo caudal… São pessoas estagnadas. São aqueles “mesmos” de sempre para quem a terra é plana, a lua é um queijo e que acham que a imaginação é atributo infantil, sem esquecerem que esta é o verdadeiro “combustível” da sua/nossa realidade. Num mundo só de gente assim, nunca teríamos passado de seres cavernícolas, cheios de certezas inabaláveis, num mundo terrívelmente intediante e cinzento. Sendo assim… Para o diabo com quem tem preconceitos relativos ao Fantástico!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s