Opinião: Se Acordar Antes de Morrer de João Barreiros

Se Acordar Antes de Morrer
João Barreiros

João Barreiros é um dos poucos (pelo menos que eu conheça) autores portugueses que ao longo de mais de 20 anos tem públicado obras de Ficção Científica. Em Acordar Antes de Morrer estão reunidos grande parte dos seus contos.

Dotado de grande originalidade e genialidade, João Barreiros leva-nos a percorrer cenários nunca antes imaginados que nos levam a questionar, na maioria das vezes, até que ponto o avanço constante da tecnologia é benéfico para a humanidade. Nem sempre foi uma leitura fácil. Em alguns dos contos penso que o autor exagera nos termos tecnológicos levando a nossa leitura um pouco à exaustão. Mesmo em contos onde a ideia está fantástica, o excesso de utilização de termos técnicos, acaba por degradar um pouco a nossa opinião sobre o mesmo.

O primeiro conto intitulado “Brinca Comigo” foi um dos que mais gostei. Confesso que fiquei com imensa curiosidade de ler um conto anterior a este “Caçador de Brinquedos” pois o autor diz, na nota introdutória, que “Brinca Comigo” poderia ser a sua sequela. Pois bem, fiquei mesmo com curiosidade! Neste conto, em que os humanos não são mais nada que meras estátuas, a Horda, constítuida por 500 brinquedos, luta pela demanda de encontrar o único humano vivo ao cimo da Terra. Foi muito engraçado passar por aquelas páginas, imaginar como seria um mundo só de brinquedos que só querem alguém que brinque com eles. Mas com os humanos todos mortos, quem o poderia fazer?

Outro conto de que gostei bastante foi “Disney no céu entre os Dumbos”. Um conto que foi escrito há mais de 20 anos, que foi publicado primeiro lá fora e só depois em Portugal e que, no entanto, é de uma “singularidade” genial. Todo o mundo descrito, a tecnologia existente, e as personagens estão extremamente bem construídos numa teia que nos conduz a um fim inevitável.

“Fantascom”, um já famoso conto do autor (para mim era-me desconhecido até ter o livro, mas uma breve pesquisa no Google diz-nos imenso) é uma sátira em que o autor descreve o fim da Ficção Ciêntifica. No geral, captei a intenção do autor e a mensagem que ele quis transmitir quanto às dificuldades da FC, mas por outro não gostei muito dos elementos escolhidos para serem satirizados. Mas o que interessa é que a mensagem é bem transmitida.

No geral, todos os contos são únicos, embora alguns repitam um pouco as mesmas ideias.
Uns foram mais fáceis de ler do que outros, mas este livro consegue mostrar bem a qualidade de João Barreiros enquanto autor de Ficção Científica. É no entanto de notar que é normal que há 20 ou 30 anos atrás a maioria dos editores de contos em revistas, não percebesse metade do que o autor escrevia, coisa que o autor se queixa em algumas notas introdutórias. Se hoje em dia, com a tecnologia que já vamos tendo, ainda acho difícil penetrar em toda aquela dimensão que o autor constrói, quanto mais há decadas atrás.

Quero ainda realçar mais dois contos: “O Teste” e “Um homem e o seu gato”.

O primeiro porque mais parece que o autor teve um momento visionário ao escrevê-lo. O conto retrata o estado da educação portuguesa num futuro que é o nosso presente. Publicado no final dos anos oitenta, dá-nos a imagem exacta das escolas portuguesas de hoje em dia. Professores com medo de alunos, avaliações cada vez mais fáceis mas que mesmo assim para os alunos são sempre impossíveis e o medo de ser considerado pior que os outros. Claro que tem sempre a sua componente tecnológica avançada, mas sem dúvida imperdível.
“Um homem e o seu gato” foi o desfecho perfeito do livro. Segundo o que o autor diz no posfácio, foi a sua mais recente criação e que bela criação. Já imaginaram gatos dotados de uma inteligência fora do normal com capacidades cognitivas quase humanas? Mas e se, afinal, fossem apenas meras armas de destruição maciça? Um conto deveras engraçado com pitadas de um horror viciante.

Para acabar, quero só dizer que tenho pena de a formatação do livro não estar um pouco melhor. Expressões que deviam estar a itálico que não estão, alguma pontuação em falta, enfim, acho que uma revisão mais apurada não lhe tinha feito mal nenhum.

Um autor que gostei de conhecer através do seu livro depois de uma breve troca de palavras na feira do livro.
Agora compreendo o que tanto li na internet sobre a magnitude da escrita de Barreiros. Um livro a ser adquirido pelos amantes de FC.

Morrighan

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Opinião: Se Acordar Antes de Morrer de João Barreiros

  1. Pingback: Esta semana (21.05.2010) « Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s