VOLLÜSPA – Vinheta de Olinda P. Gil!

Voltamos por fim às Vinhetas, temos ainda 10 para publicar:

Endovélico

Olinda P. Gil

Numa tarde primaveril, um grupo de caminhantes bem equipados explorava os terrenos junto à ribeira de Lucefecit, perto do Alandroal.

– Está aqui indicado! Rocha da Mina é por aqui! Sigam-me! – disse aquele que parecia ser o líder do grupo.

O terreno ao longo da ribeira era verdejante, com árvores frondosas. Encontram uma ponte de madeira, que os deixou deslumbrados.

– Não fazia ideia que este lugar era tão belo! – exclamou uma das raparigas do grupo.

Pouco depois de passarem a ponte repararam nuns rochedos que pareciam despontar abruptamente no terreno. O líder do grupo voltou a falar:

– Julgo que temos de subir os rochedos. É um pouco perigoso. Mas não há modo de seguir a ribeira.

Quanto mais avançavam, mas se sentiam encantados. Quando chegaram ao topo do rochedo já não tinham palavras para descrever a beleza do local, que a cada passo aumentava. A ribeira corria, com um som límpido, num vale muito estreito, construído por rochedos como aquele onde se encontrava.

Então, o tempo mudou subitamente e começou a trovejar. Uma rapariga atenta chamou a atenção ao resto do grupo.

– Cuidado! Caíu um relâmpago perto da ribeira.

Foi então que viram uma figura humanoide, gigantesca, parecendo feita da mesma luz dourada de um relâmpago:

– Eu sou o deus Endovélico! Fui adorado por povos da antiguidade até ao tempo do cristianismo! Como vos atreveis a incomodar o meu descanso, se não for para me adorar?

O grupo estava aterrorizado, nunca tinham ouvido falar de tal fenómeno! Eles eram apenas praticantes de orientação. Ninguém foi capaz de proferir palavra.

– Deixar aqui os vossos pertences, e abandonai este local sagrado imediatamente! – vociferou o deus.

Assim que os caminhantes partiram assustadíssimos, Endovélico começou a remexer nas mochilas abandonadas, até encontrar um livro.

Vollüspa, finalmente!

 

Info: Professora e Formadora de Português, foi colaboradora no DN Jovem. Posteriormente participou com outros colaboradores do suplemento no site na-cama.com e jotalinks (actualmente extintos). Foi 3º prémio no concurso literário “Lisboa à Letra” em 2004, na categoria de prosa. Actualmente escreve no blog: http://acasadoalfaiate.blogspot.com

 

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s